2010/12/15

"Os alambiques"

Encontra-se disponível para visualização no Inventário online do Património Museológico da Educação, a exposição "Os Alambiques", constituída por um conjunto destes objectos pertencentes ao espólio museológico da: 
 
Escola Básica e Secundária Anselmo de Andrade
 
Escola Básica e Secundária de Carcavelos
 
Escola Secundária Artística António Arroio
 
Escola Secundária Campos Melo
 
Escola Secundária Carlos Amarante
 
Escola Secundária com 3º Ciclo de Pombal
 
Escola Secundária de Bocage
 
Escola Secundária de Fonseca Benevides
 
Escola Secundária de Gil Vicente
 
Escola Secundária de Sá da Bandeira
 
Escola Secundária Domingos Sequeira
 
Escola Secundária Emídio Navarro
 
Escola Secundária Josefa de Óbidos
 
Escola Secundária Padre António Vieira
 
Escola Secundária Rainha D. Leonor

Cartazes de Prevenção de acidentes de trabalho

Encontra-se disponível para visualização no Inventário online do Património Museológico da Educação, a exposição "Cartazes de Prevenção de acidentes de trabalho" do Inventário Museológico da Educação", constituída por um conjunto de cartazes pertencentes ao espólio das Escola Secundária Jacome Ratton e Escola Secundária de Emídio Navarro.

2010/12/07

"Balanças - Instrumentos de medida"

Encontra-se disponível para visualização no Inventário online do Património Museológico da Educação, a exposição "Balanças - Instrumentos de medida", constituída por um conjunto de balanças pertencentes ao espólio museológicos das escolas: 
 
Escola Secundária Campos Melo
 
Escola Secundária Carlos Amarante
 
Escola Secundária com 3.º ciclo de Anadia   
 
Escola Secundária com 3º Ciclo Clara de Resende
 
Escola Secundária D. Dinis
 
Escola Secundária D. Sancho II
 
Escola Secundária da Amora           
 
Escola Secundária de Bocage
 
Escola Secundária de Francisco Rodrigues Lobo
 
Escola Secundária de Gil Vicente
 
Escola Secundária de Lousada
 
Escola Secundária de Passos Manuel                           
 
Escola Secundária de Pedro Nunes
 
Escola Secundária do Monte da Caparica
 
Escola Secundária Padre António Vieira
 
Escola Secundária Rainha D. Amélia
 
Escola Secundária Sebastião da Gama           

"Os têxteis na colecção "online" do Inventário Museológico da Educação"

Encontra-se disponível para visualização no Inventário online do Património Museológico da Educação, a exposição "Os têxteis na colecção "online" do Inventário Museológico da Educação", constituída por um conjunto de peças, realizados por professores e alunos.
 

MACROESTRUTURA FUNCIONAL - ME: CONCLUSÃO

Em Março de 2010 foi postada neste Blog uma notícia sobre a adesão da Secretaria-Geral ao projecto Governo Electrónico e Interoperabilidade e o desenvolvimento do processo de trabalho decorrente do mesmo em coordenação conjunta com o GEPE e a colaboração de uma rede de interlocutores de todos os serviços do ME.
Ao levantamento efectuado por técnicos desta Secretaria-Geral e pela Bsafe, dos documentos produzidos, bem como dos respectivos circuitos documentais, seguiu-se o processo de produção das diversas classes e subclasses da Macroestrutura Funcional com particular relevo para a classe 500. "Ensino e Formação".
Este processo foi sendo acompanhado pela Direcção-Geral de Arquivos, organismo de tutela dos arquivos a nível nacional, com reuniões de trabalho conjunto para discussão das propostas apresentadas e respectiva validação.
Foram também consolidadas as Séries documentais para as diversas classes e subclasses referentes às funções de suporte e às funções de conteúdo da Educação.
No dia 19 de Outubro realizou-se a última reunião na DGARQ a fim de acertar alguns detalhes, tendo o projecto sido dado como finalizado, por aquela Direcção-Geral, em 19 de Novembro.
Assim, o compromisso assumido no início do ano foi cumprido, encontrando-se consubstanciado no Plano de Classificação Macro, disponível para apresentação superior a todos os organismos e serviços centrais, regionais e tutelados do Ministério da Educação.

2010/11/05

7.ª edição do "Encontro de Utilizadores de Aplicações de Gestão do Património"

A Secretaria-Geral do Ministério da Educação vai participar na 7.ª edição do "Encontro de Utilizadores de Aplicações de Gestão do Património", organizada pela empresa Sistemas do Futuro em
colaboração com o Museu de Portimão. O objectivo deste evento é o de reunir profissionais dos diferentes sectores do
património cultural que, através da apresentação de casos práticos, partilham os seus conhecimentos e experiências.
 
No evento, a Secretaria-Geral do Ministério da Educação apresentará uma comunicação integrada no tema "Colecções online"  com a qual pretende partilhar a sua experiência bem como, divulgar e promover a sua colecção em linha do Património Museológico.
 
 

2010/10/27

Sistema Métrico Decimal na Educação

"Medir uma quantidade é procurar quantas vezes ella contém outra quantidade conhecida do mesmo género. Esta quantidade conhecida chama-se unidade." (Dias, 1875:5)
 
A colecção monográfica da Biblioteca Histórica da Educação da Secretaria-geral do Ministério da Educação integra um singular exemplar dedicado à problemática do ensino da metrologia. Esse exemplar intitulado Arithmetica elementar e systemas métricos de autoria de António da Silva Dias (Cota: ERS 11), proveniente do Museu Pedagógico Municipal de Lisboa, merece destaquedevido à sua raridade epistemológica e sistematização de conceitos.

2010/09/17

Miguel Ventura Terra e a arquitectura liceal do início do século

 
Em 2011 decorrerá um século sobre a inauguração do edifício da Escola Secundária de Pedro Nunes. Um centenário que vale a pena assinalar.
O projecto original, da autoria de Ventura Terra, foi concebido para albergar o 'Liceu Central da 3ª zona de Lisboa', conhecido à época por 'Liceu da Lapa', uma vez que funcionava, desde 1906, num prédio alugado para o efeito na Rua do Sacramento à Lapa.
Miguel Ventura Terra (1866-1919) concluía arquitectura em 1886, na Escola de Belas Artes do Porto, mas instala-se, de seguida, em Paris, onde completa a sua formação. Regressado a Portugal, em 1896, irá conseguir imprimir, na Lisboa ainda refém de um ecletismo oitocentista, várias marcas de um outro entendimento do objecto arquitectónico, assente em princípios de funcionalidade e de racionalidade. Exemplos disso são a intervenção na Câmara dos Deputados, na sequência do incêndio Palácio de São Bento em 1895, ou projectos emblemáticos como o Teatro Politeama e a Sinagoga de Lisboa (1905).
Mas a sua contribuição para a renovação da imagem da capital tem um ponto forte nos edifícios destinados a liceus: Camões (1907) e Pedro Nunes (1909) inaugurado já pela República em 1911, a que se deve acrescentar o projecto inicial para o Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho (1913) que viria a ser inaugurado já depois da sua morte, em 1933/34.
Depois do Liceu Camões, Ventura Terra desenvolve, no projecto do Pedro Nunes, um programa arquitectónico que espelha a mesma valorização dos princípios higienistas dominantes na época, patentes na preocupação com aspectos como a iluminação, o arejamento, a circulação, e na especial importância conferida às instalações destinadas à educação física.
Na linha das concepções pedagógicas dominantes, é dada particular atenção às instalações dedicadas ao ensino das ciências e geografia, organizadas em torno dos laboratórios e respectivos anfiteatros, traduzindo a valorização de um ensino apoiado na observação e na experimentação. O programa arquitectónico obedece ainda ao propósito de manter os alunos dentro do espaço escolar, contemplando para tal espaços destinados a refeitório e salas de estudo.
O mais interessante, neste conjunto de preocupações e no desenho que as concretiza, é o contraste absoluto que terão provocado nas vivências escolares à época, se pensarmos que muitas escolas estavam instaladas em edifícios provisórios, sem quaisquer condições para as funções lectivas, muito menos espaços complementares – de refeições, de estudo, de recreio, etc. – sem os quais não é possível a criação de um sentido global de escola.
 
 

2010/09/10

Desmontagem estética das metáforas e da colação da obra intitulada: A vida das flores

 
 
A análise constante do presente artigo baseia-se na obra, em dois volumes, intitulada A vida das flores. O objecto de estudo restringe-se à colação e às ilustrações. Integra-se esta obra na corrente literária da época – o parnasianismo: Exalta-se a natureza e, por sua vez, a mulher reaparece como mimesis das flores. São descritos alguns pormenores referentes ao autor, co-autor, ilustrador e tradutor da referida monografia. Estes exemplares pertencem à colecção da biblioteca da antiga Escola Rodrigues Sampaio de Lisboa. Esta colecção faz parte da Biblioteca Histórica da Educação (Secretaria-Geral do Ministério da Educação).

2010/09/09

ESPÓLIO DA ESCOLA SECUNDÁRIA DAVID MOURÃO-FERREIRA


A Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo (DRELVT) doou à Secretaria-Geral do Ministério da Educação o espólio da Escola Secundária David Mourão-Ferreira.
 
A importância deste espólio decorre do facto desta escola, inicialmente designada Escola Secundária da Encarnação, ter tido na sua origem as Escolas Secundárias Dona Maria I e Veiga Beirão, extintas em 1997, e que haviam sido escolas comerciais.
 
De salientar que a então Escola Comercial Dona Maria I, cuja designação data de 1948, sucedeu à Escola Comercial Rodrigues Sampaio. Esta última foi criada pela Câmara Municipal de Lisboa como Escola Primária Superior Rodrigues Sampaio em 1883, alguns meses após a inauguração do Museu Pedagógico Municipal de Lisboa. As duas instituições funcionavam no mesmo edifício e foram organizadas e dirigidas por Francisco Adolfo Coelho (1847-1919).
 
A Biblioteca da Escola Rodrigues Sampaio, que inclui uma parte substancial dos livros e periódicos da biblioteca do Museu Pedagógico Municipal de Lisboa, foi doada, em 1997, à Secretaria-Geral do M.E. podendo ser pesquisada no SIBME-Sistema Integrado de Bibliotecas do Ministério da Educação e consultada na Biblioteca da Secretaria-Geral.
 
O espólio agora doado inclui as bibliotecas escolares, bem como documentação de arquivo e peças museológicas, de que se destacam os arquivos de correspondência iniciais da Escola Rodrigues Sampaio, em fase de tratamento.

2010/09/01

Almada Negreiros - o ilustrador

A análise constante do presente artigo baseia-se na ilustração da capa do livro Leituras para o ensino técnico. São
apresentados, grosso modo, as grandes influências de Almada – pitagóricas e helenísticas. Através destes
conceitos procede-se à hermenêutica da capa do referido manual escolar. Os exemplares analisados pertencem à colecção da Biblioteca Histórica da Educação (Secretaria-Geral do Ministério da
Educação).

2010/07/27

Projecto "Bibliotecas, Arquivos e Museus da Educação (BAME)"

O projecto "Bibliotecas, Arquivos e Museus da Educação (BAME)" da Secretaria-Geral do Ministério da Educação foi aceite na Rede Comum de Conhecimento (RCC).
Este projecto foi seleccionado para destaque na Home Page da (RCC).
A Rede Comum de Conhecimento é uma plataforma colaborativa de apoio à partilha de iniciativas de modernização, inovação e simplificação administrativas da Administração Pública.
 

2010/07/14

Peça do Mês de Julho

Património Museológico da Educação
 
Peça do Mês
 
Encontra-se disponível para visualização a Peça do Mês de Julho, composta por um conjunto de catorze bonecos realizados por alunas, no contexto das práticas pedagógicas nas aulas de Lavores do Curso de Formação Feminina. Estas figuras, uma feminina e outra masculina, encontram-se vestidas com os trajes tradicionais de várias zonas do País.
 
Este conjunto de peças faz parte do espólio museológico da Escola Secundária Rainha Santa Isabel.

2010/06/23

Nova Exposição Virtual

Património Cultural da Educação
 
Projecto BAME
 
Exposições Virtuais
 
Encontra-se disponível para visualização no Inventário online do Património Museológico da Educação, a exposição "Lisboa, quem a Conhece" – Profissões Antigas de Lisboa, constituída por um conjunto de peças, em azulejo e em cerâmica de terracota, realizadas por alunos do 6.º ano da Escola Básica 2.3 Pedro de Santarém.

Peça do Mês de Junho

Património Museológico da Educação
 
Peça do Mês
 
Encontra-se disponível para visualização a Peça do Mês de Junho sobre um conjunto de imagens parietais destinadas a serem utilizadas nas aulas de línguas, neste caso da língua Inglesa, permitindo introduzir e acrescentar novos vocabulários.
 
Este conjunto de peças faz parte do espólio museológico da Escola Secundária José Saramago em Mafra.
 

2010/06/02

Peça do mês de Maio

Inventário Museológico da Educação
 
Peça do mês
 
Encontra-se disponível para visualização a Peça do Mês de Maio sobre quadros didácticos de insectos.

2010/05/18

Peça do Mês

Inventário Museológico da Educação

 

Encontra-se para visualização a Peça do Mês de Abril. 

 

18 de Maio dia Internacional dos Museus - Exposição Virtual

O Ministério da Educação associa-se às comemorações do Dia Internacional dos Museus, dia 18 de Maio, apresentando a Exposição virtual sobre o espólio museológico de Instrumentos Científicos produzidos pela empresa alemã E. Leybold's Nachfolger.
 

18 de Maio -Dia Internacional dos Museus

Museus e escolas – harmonia social
O Projecto B.A.M.E. (Bibliotecas, Arquivos e Museus da Educação) na sua vertente museológica, tem como objectivo promover o estudo, a conservação e a divulgação do património artístico, histórico, científico e tecnológico no domínio da Educação. Isto seguindo as linhas orientadoras de um museu: a preservação física das peças; a conservação de testemunhos e a divulgação do espólio didáctico ou de carácter histórico das escolas secundárias de Portugal.
Para os profissionais dos museus, o Dia Internacional dos Museus é uma ocasião única para estar em contacto com o seu público. As instituições museológicas, assim como as define o ICOM (International  Council of Museums), estão ao serviço da sociedade e do seu desenvolvimento e, como tal, têm um papel fundamental a desempenhar na sociedade.
O objectivo do Dia Internacional dos Museus (comemorado a 18 de Maio) é reunir os espaços museológicos em torno do lema «os museus são um meio importante de intercâmbio cultural, do enriquecimento das culturas, do conhecimento mútuo, da cooperação e da paz entre os povos».
«Museus para a harmonia social» foi o tema proposto este ano pelo ICOM. Uma vez que o Projecto B.A.M.E. está ligado às escolas - pólo dinamizador no seio da sociedade-, faz sentido reflectir sobre o papel da harmonia social em contexto escolar, através dos seus acervos. A harmonia deve ser entendida no sentido em que nos remete para o diálogo, a tolerância, a coabitação e o desenvolvimento baseado no pluralismo, na diferença, na competência e na criatividade. O trabalho desenvolvido pelo Projecto B.A.M.E., na vertente museológica, centra-se no inventário e na valorização das colecções. Isto porque se procura conhecer e investigar o vasto património escolar, para que uma colecção representativa da história da educação em Portugal possa ser partilhada com a comunidade. A única forma de enaltecer e abrir o espólio escolar à sociedade e aos seus contributos é conhecer a fundo as colecções que as escolas têm à sua guarda.
Para além da valorização do espólio museológico junto das escolas, o projecto B.A.M.E. utiliza como plataforma de divulgação o Museu Virtual.  Este pode ser entendido como uma unidade pré-museológica permanente, gratuita e aberta ao público, tutelada pelo Ministério da Educação, que tem por missão a valorização dos testemunhos, quer do material de apoio didáctico, quer do espólio representativo da história das instituições escolares públicas.
O Museu Virtual, através dos milhares de peças inventariadas, assume o carácter transdisciplinar presente nas colecções inventariadas e proporciona aos visitantes uma memória viva da história do ensino em Portugal. Pela diversidade do património de interesse histórico, artístico, documental, etnográfico e antropológico relacionado com o ensino em Portugal, o conhecimento deste vasto acervo torna-se fundamental para uma caracterização fundamentada de uma realidade social. A harmonia social que as escolas e as suas colecções reflectem procura compreender a realidade comum, mas mantendo a singularidade de cada estabelecimento.  Este é também o papel cultural e social dos museus, promotores activos da harmonia social e do intercâmbio de conhecimentos, virtudes partilhadas com as escolas.
 

2010/05/10

A colecção de instrumentos científicos e a sua relação com o catálogo de "Equipamentos de Física" da empresa produtora "E. Leybold's Nachfolger

BAME nas escolas
Inventário do Património Museológico da Educação
Encontra-se disponível para leitura o artigo sobre a Colecção de instrumentos científicos e a sua relação com o catálogo de "Equipamentos de Física" da empresa produtora "E. Leybold's Nachfolger".
Brevemente irá estar disponível, no Inventário online do Património Museológico da Educação, uma exposição sobre Instrumentos Científicos das Escolas Secundárias.

"25 Escolas renovadas"


BAME nas Escolas
Exposição

"25 Escolas renovadas"



A exposição "25 Escolas renovadas" organizada pela Parque Escolar, EPE, pode ser visitada no novo pavilhão desportivo da Escola Básica e Secundária de Passos Manuel, na Travessa do Convento de Jesus, Lisboa, aos sábados e domingos, das 10 às 17 horas, até ao dia 30 de Maio.

2010/04/30

Na rota dos manuais escolares

BAME nas escolas
Património bibliográfico
Encontra-se disponível para leitura o estudo bibliométrico realizado no âmbito do primeiro trimestre de 2010 em 9 escolas.

2010/04/21

Colecção de Carimbos Didácticos

A exposição do espólio museológico do Instituto António Aurélio da Costa Ferreira apresenta uma colecção de carimbos didácticos.

2010/04/20

Laboratório de Química do Lyceu Passos Manuel

Como exemplo das preocupações de actualização dos processos de ensino ao melhor que se fazia na época, ou seja, de acordo com os modelos europeus mais avançados, o ensino experimental tinha um papel fundamental. Este está bem expresso nos espaços e equipamentos laboratoriais, assim como na publicação de monografias específicas, como é exemplo o manual de química prática "Problemas e manipulações Químicas", de J. A. Correia dos Santos (2.ª edição ampliada, Lisboa 1924), destinado a ser utilizado pelos alunos, com indicações práticas de como fazer preparações de diferentes substancias com o emprego de reagentes e de materiais a adaptar pelos alunos. O manual apresenta um modelo de laboratório portátil para que fosse possível observar a maioria das propriedades mais importantes das substâncias estudadas.
Nas imagens seguintes apresentam-se fotografias do Laboratório de Química do Liceu Passos Manuel e imagens de alguns instrumentos científicos nele existentes.


Fotografias que ilustram o interior do Laboratório de Química do Liceu Passos Manuel.
À esquerda* observam-se três mesas com material didáctico de química e, à direita**, do conjunto de estudantes destaca-se a presença de duas alunas.
*(Liceus de Portugal, Boletim da Acção Educativa do Ensino Liceal. n.º 1) Outubro de 1940.
**(Problemas e manipulações Químicas, J.A. Correia dos Santos, .ª edição ampliada, Lisboa 1924)


Objectos científicos para utilização nas Aulas de Química





Ovo eléctrico
N.º de inventário: ME/402436/105


Aparelho de Grimsehl
N.º de inventário: ME/402436/557




Electroscópio de folhas
N.º de inventário ME/402436/131



Aparelho de indução de Hagenbach
N.º de inventário: ME/402436/128

Estes objectos, alguns dos quais se encontram sobre as mesas de trabalho, foram adquiridos por catálogo à empresa E. Leybold's Nachfolger (Colónia, Alemanha), produtora de material didáctico, instrumentos científicos e instalações de laboratórios escolares e integram a Colecção on line do Inventário do Património Museológico da Educação.


Exemplos de prospectos de propaganda de fabricante de instrumentos científicos da época. *




2010/04/19

Comemoração dos cem anos da construção do Liceu Passos Manuel

BAME nas Escolas


Comemoração dos cem anos da construção do Liceu Passos Manuel

A reforma do ensino promovida por Passos Manuel, em 1836 (Decreto Lei de 17 de Novembro), veio substituir todas as aulas de ensino secundário que se encontravam dispersas pelo nosso território, por um sistema de liceus nacionais, localizados em todas as capitais distritais do reino, determinando a criação do Plano dos liceus nacionais. Neste plano ficou determinado no seu art.º 41 que na cidade de Lisboa haveria dois Liceus.
Esses dois estabelecimentos de ensino vieram dar origem ao Liceu Passos Manuel e o Liceu Camões.
Em 1908, por Decreto de 17 de Julho (datado de 20 de Julho e publicado no D.G. de 21 de Julho) é autorizado ao "Lyceu Central da 2.ª zona escolar de Lisboa a usar o nome de Lyceu Passos Manuel".
A escolha da localização e a construção do actual edifício foram marcadas por dificuldades várias. O edifício virá a ser construído no local do antigo convento de Jesus, na actual Travessa do Convento de Jesus, tendo o primeiro projecto pertencido a um dos mais importantes arquitectos portugueses da época José Luís Monteiro, posteriormente modificado por Rafael da Silva e Castro e, com a morte deste, o projecto foi dada a Rosendo Carvalheira.
Em 1907, Rosendo Carvalheira realiza as alterações ao projecto inicial de raiz clássica introduzindo gosto arquitectónico mais actual, seguindo orientações no sentido de tornar a sua construção menos onerosa e mais adaptada às novas exigências pedagógicas e higienistas e de organização funcional. Foram, também, adoptados novos materiais e técnicas de construção mais recentes nas fachadas (utilização de cimento armado, utilização de ferro na armação das coberturas do edifício) a substituição de cantaria por tijolo à vista. 




Uma das novidades foi criação de uma nova concepção espacial no sentido proporcionar maior desenvolvimento intelectual e físico aos alunos, segundo um modelo próprio virado para o ensino moderno, com novas disciplinas e com condições pedagógicas, higiénicas e ginásios. Optou-se pela separação de espaços especializados e pelo aumento dos espaços abertos para recreio, dando-se expressão às preocupações higienistas com a saúde dos utentes, que de acordo com os conceitos da época, dependiam da capacidade de arejamento dos edifícios e da oxigenação das dependências, havendo ainda preocupações com a iluminação, projectando grandes janelas que facilitassem a entrada de luz e a renovação de ar.
Após a construção do edifício, que foi concluída em apenas dois anos, este começou a funcionar durante o ano lectivo de 1910-1911, em pleno período de mudança política no país, correspondente à Implantação da República.



(Liceus de Portugal, Boletim da Acção Educativa do Ensino Liceal, Nº1, Outubro de 1940)
(Liceus de Portugal": histórias, arquivos, memórias / coord. António Nóvoa, Ana Teresa Santa-Clara)

2010/04/16

"25 Escolas renovadas"


BAME nas Escolas

Exposição
"25 Escolas renovadas"

A exposição "25 Escolas renovadas" organizada pela Parque Escolar, EPE, vai decorrer a partir de 23 de Abril, no novo pavilhão desportivo da Escola Básica e Secundária de Passos Manuel, na Travessa do Convento de Jesus, Lisboa
Pretende-se com esta exposição dar a conhecer o trabalho já realizado no âmbito do projecto de requalificação e modernização da rede pública dos edifícios das Escolas do Ensino Secundário.


2010/04/15

Atendimento ao público

A Divisão de Documentação e Património Cultural da Secretaria-Geral do Ministério da Educação assegura o acesso do cidadão ao património bibliográfico e arquivístico da Educação através de Consulta Local nas instalações da Avenida 5 de Outubro, 107, rés-do-chão.

 

Na sala de leitura, aberta todos os dias úteis entre as 9h00 e as 17h00, pode consultar monografias e periódicos especializados nas áreas da Educação e do Ensino tais como documentos de arquivo produzidos por organismos tutelados pelo extinto Ministério da Educação Nacional e outros arquivos incorporados na Secretaria-Geral, nomeadamente o Arquivo Técnico de Construções Escolares.

 

A consulta dos referidos documentos obedece a requisição prévia, através do preenchimento de impresso próprio disponível na sala de leitura.

 

As unidades arquivísticas requisitadas pelos utilizadores encontram-se depositadas em outro local, distante da sala de leitura. Por este facto, as mesmas são levantadas nos dias 15 e 30, de cada mês.

 

Para qualquer informação complementar, poderá contactar-nos utilizando o seguinte endereço de correio electrónico:

 

 

arqhistorico@sg.min-edu.pt

 

2010/04/01

Relatórios BAME

A Parque Escolar E.P. publicou o Relatório do Projecto BAME relativo ao ano de 2009.

2010/03/18

Exposição Virtual

No âmbito do Ano Internacional da Biodiversidade apresenta-se a exposição Biodiversidade 2010.

2010/03/15

MACROESTRUTURA FUNCIONAL - ME

A Secretaria-Geral aderiu, em 2009, ao projecto Governo Electrónico e Interoperabilidade, cabendo-lhe liderar internamente as acções necessárias ao envolvimento do universo organizacional da Educação.

Têm vindo a decorrer desde Janeiro do corrente ano, os trabalhos necessários à prossecução deste objectivo, destacando-se, nesta primeira fase, as seguintes tarefas:

Þ    Levantamento da documentação produzida e recebida pelos diversos serviços do ME;

Þ    Levantamento e análise dos circuitos documentais;

Þ    Levantamento e estudo do nível de implementação de sistemas de gestão documental e/ou workflow, no ME.

A próxima etapa, já em desenvolvimento, tem por objectivo a construção de uma macroestrutura classificativa comum, contendo dois níveis funcionais – classe e subclasse – que consubstanciam as funções e actividades da Administração Central do Estado, nomeadamente no que concerne às áreas de negócio do ME:

Þ    Educação,

Þ    Ensino

Þ    Formação

Þ    Valorização profissional.

A existência de uma estrutura comum para classificar documentos, independentemente do seu formato ou suporte, constitui um recurso vital que vai permitir:

Þ    A recuperação mais eficaz da informação;

Þ    A racionalização de meios;

Þ    Melhores práticas de produção e gestão documentais.

 

Este é o nosso compromisso.

 

2010/03/08

BAME nas escolas - 1º Trimestre de 2010

Durante o primeiro trimestre de 2010 foram já intervencionadas 17 escolas, nas três vertentes do património escolar, contando com um total de 757 registos de biblioteca, 3.404, 78 metros lineares de documentação de conservação permanente na área de arquivo e 1771 objectos na vertente museológica:
Escola Secundária de Mem Martins, Rio de Mouro
Escola Secundária Clara de Resende, Porto
Escola Secundária Monte da Caparica
Escola Secundária Pascoal José de Mello, Leiria
Escola Secundária Quinta do Marquês, Oeiras
Escola Secundária da Trofa
Escola Secundária Afonso Lopes Vieira, Leiria
Escola Secundária de Gondomar
Escola Secundária Camilo Castelo Branco, Carnaxide
Escola Básica com 2.º e 3.º Ciclos e Secundário Sacadura Cabral, Guarda
Escola Secundária de Santa Maria Maior, Viana do Castelo
Escola Secundária de Arouca, Aveiro
Escola Secundária Martins Sarmento, Guimarães
Escola Básica com 2.º e 3.º Ciclos e Secundário Frei Gonçalo de Azevedo, S. Domingos de Rana
Escola Secundária D. Sancho I, Vila Nova de Famalicão
Escola Secundária Jorge Peixinho, Montijo
Escola Secundária João de Barros, Seixal
 
 

2010/01/12

Inventário do Património Museológico da Educação

Palestra – Revista de Pedagogia e Cultura


No decurso do processo de inventariação do património museológico da Educação, constituído por um conjunto de peças de carácter didáctico existentes nas escolas básicas e secundárias da rede pública, ressaltou o empenho colocado ao longo dos tempos, por docentes e entidades, na aquisição de materiais escolares, assim como equipamentos para salas de aula e laboratórios. Estas aquisições permitiram reunir importantes colecções de objectos muito diversificados, que são testemunho de preocupações fundamentais em termos das componentes experimentais do ensino e do registo da evolução das práticas educativas e formativas.

Os diferentes conjuntos de materiais didácticos, para além das suas virtudes educativas, foram adquirindo valor patrimonial, constituindo hoje uma colecção de objectos cuja consulta e observação se encontram disponíveis, em Inventário do Património Museológico da Educação.

Como exemplo de uma política de reapetrechamento dos estabelecimentos de ensino, destinada a desenvolver capacidades técnicas e garantir a eficiência na aprendizagem, divulga-se a publicação da lista pormenorizada de objectos e equipamentos educativos, e o respectivo custo, relativos à renovação do material didáctico para o Laboratório de Física nas áreas de: Mecânica, Sólidos e Fluidos, Ondas, Acústica, Óptica, Termologia, Termodinâmica, Electricidade, Magnetismo e Radiações, do Liceu Normal Pedro Nunes, na "Palestra – Revista de Pedagogia e Cultura", n.º 30, de 1963 (pp. 101-119), Parte Documental.
Esta listagem de materiais destinados às práticas pedagógicas foi realizada pela “Comissão de Reapetrechamento em Material das Escolas Superiores e Secundárias”, de acordo com as orientações científicas do professor Rómulo de Carvalho (1906-1997), docente e co-director da revista pedagógica “Palestra”, publicada durante 8 anos pelo Liceu Normal Pedro Nunes.