2011/12/29

"Portugal Maior" - Um Manual Escolar para o Ensino Técnico

A propósito de “Portugal Maior – Livro de Leituras para o Ensino Técnico Profissional”, organizado por Augusto Reis Góis e Antonino Henriques, com colaboração do Dr. Virgílio Couto, que integra o património bibliográfico à guarda desta Secretaria-Geral, tece este texto algumas breves notas e considerações sobre o surgimento e importância, em Portugal, do ensino técnico profissional.

Ler mais

2011/12/22

Bibliografia de autor: Fernando Pessoa - Recompilação bibliográfica SIBME

A presente bibliografia de autor destina-se a divulgar os documentos de/ou Fernando Pessoa presentes no Catálogo SIBME (Sistema Integrado de Bibliotecas do Ministério da Educação). Dando, assim, uma visão holística dos conteúdos existentes na referida base de dados sobre o autor em questão. (Ler mais)

2011/12/20

Os manuais escolares da Biblioteca Histórica

“Que prazer para a vida! O século das crianças apareceu.”

Com esta exclamação, escrita por volta de 1910, se inicia o Prólogo da Cartilha Moderna da autoria de Manuel Antunes Amor, um dos mais divulgados manuais dos inícios do século XX. (ler mais)

2011/12/19

Peça do mês de Dezembro

Visite aqui a peça do mês de Dezembro.

2011/12/02

Programas escolares

Encontram-se em fase de tratamento documental um conjunto significativo de programas do ensino secundário da década de 60, 70 e 80 que, a seu modo, espelham o desenvolvimento da história da educação em múltiplas áreas do saber. Ver artigo completo

2011/11/25

Peça do Mês

Visite aqui a peça do mês de novembro

2011/11/10

Exposição Virtual: 10 de Novembro - Dia Mundial da Ciência ao Serviço da Paz e do Desenvolvimento

A presente exposição virtual associa-se à celebração do Dia Mundial da Ciência ao Serviço da Paz e do Desenvolvimento.

 

Este Dia tem por objectivo congregar todos os Governos e Cidadãos na utilização correcta dos progressos científicos ao serviço da Humanidade, para a construção de um mundo sem conflitos.

2011/10/27

Peça do Mês

Visite aqui a peça do mês de Outubro.

2011/10/04

Exposição Virtual

No Dia do Professor não deixe de visitar a nossa Exposição Virtual.

2011/09/30

Exposição Virtual

Dia internacional da Música

 

Convidamos todos os interessados a visitar a exposição virtual do espólio museológico da Escola de Música do Conservatório Nacional.

 

2011/09/27

Peça do Mês

Visite aqui a peça do mês de setembro.

2011/09/23

Jornadas Europeias do Património 2011

A Secretaria-Geral associa-se às Jornadas Europeias do Património 2011 com a apresentação de um artigo.

Ler mais...

2011/09/16

Projetos de construções universitárias nos fundos históricos

A Universidade de Lisboa está a comemorar o seu centenário. Os edifícios da Reitoria, e das Faculdades de Letras e de Direito constituem o trio emblemático da Cidade Universitária que se ergueu nos anos 50 com o traço característico do arquitecto Pardal Monteiro.
Mas o espaço que entre estes edifícios ficou, hoje parque de estacionamento e relvado, foi objecto, também ele, de um projecto de intervenção urbanística que, a ser construído, lhe teria dado feição bem diferente.

Ler mais

2011/08/29

Peça do Mês

Visite aqui a peça do mês de agosto

2011/08/24

Um Manual Escolar Ilustrado: o livro enquanto objecto museológico

A Secretaria-Geral tem à sua guarda diversos fundos documentais que – quer pela natureza, especificidade, ou proveniência – assumem contornos próprios que conduzem à sua “autonomia”. Este património é tecnicamente tratado dentro de uma lógica integrada, reconhecendo e valorizando as idiossincrasias subjacentes a cada coleção mas perspetivando a sua importância.


Os manuais escolares – pela sua natureza e tipologia – constituem uma coleção autónoma e permitem múltiplos olhares e hipóteses de estudo. Uma possível abordagem poderá ser feita olhando ao amplo universo de desenhos e gravuras que caracterizam os livros de cariz didático do denominado período do Estado Novo, em cuja coleção se encontram inúmeros exemplares.

As imagens que acompanham o presente texto foram retiradas do livro intitulado: “Leituras”.

Para ler o artigo clique aqui.

2011/08/17

Interculturalidade - Fundo documental doado pela Dra. Helena Seabra

Encontra-se em fase de tratamento o fundo documental doado à Secretaria-Geral pela Dr.ª Helena Seabra. A singularidade deste acervo que, doravante, complementará a área de literatura do fundo geral da referida Secretaria, inclui documentos que denotam uma preocupação intercultural – a língua portuguesa como mediação entre realidades culturais e vivencias. Para ler o artigo clique aqui .

2011/08/10

Plano de Preservação Digital: projeto de elaboração

O Plano de Preservação Digital é um instrumento fundamental para a abordagem das séries documentais em suporte digital. Para aceder ao artigo clique aqui.

2011/08/05

Exposição virtual - O Dia Internacional da Educação: Espólio Professora Maria Margarida Lucas Leal

A Secretaria-Geral assinala o Dia Internacional da Educação (7 de Agosto) com a realização da referida exposição virtual que inclui uma seleção de objetos pertencentes ao espólio da Professora Primária Maria Margarida Lucas Leal.

2011/08/01

Museu Virtual da Educação: 30.000 registos disponíveis na base de dados

O Inventário e Digitalização do Património Museológico da Educação é uma base de dados ...
 

2011/07/29

Espólio museológico da Professora Maria Margarida Lucas Leal

Encontra-se em fase de tratamento uma selecção do espólio museológico da Professora Maria Margarida Lucas Leal, doado à Secretaria-Geral do Ministério da Educação. Ler mais

2011/07/22

Espólio Faria de Vasconcelos

O Prof. Doutor J. Ferreira de Marques ofereceu à Secretaria-Geral dois volumes das Obras Completas de Faria de Vasconcelos - estes abrangem a produção literária de Faria de Vasconcelos de 1925 a 1936. J. Ferreira Marques no prefácio do volume 5 refere-se à importância da parte do espólio de Faria de Vasconcelos existente na Secretaria-Geral: "nas Obras Completas decorrem de ter encontrado um exemplar do referido número da Ágora no seu espólio de publicações existente na Secretaria-Geral do Ministério da Educação quando nele realizava consultas".

2011/07/15

Peça do Mês

Visite aqui a peça do mês de julho.

2011/07/11

Dia Mundial da População - 11 de julho"

A Secretaria-Geral do Ministério da Educação assinala o Dia Mudial da População com a realização da presente Exposição Virtual.

2011/07/07

3.º Colóquio Internacional Manuais Escolares

Manuais e novas práticas.

Saiba mais aqui

2011/06/28

Peça do Mês

Visite aqui a peça do mês de junho.

2011/06/15

3.º COLÓQUIO INTERNACIONAL MANUAIS ESCOLARES: PARTICIPAÇÃO DA SG-ME

Vai realizar-se nos próximos dias 30 de Junho e 1 de Julho de 2011, na Universidade Lusófona, em Lisboa, o 3º Colóquio Internacional sobre Manuais Escolares, subordinado ao tema «Manuais e Novas Práticas».
Este evento conta com a participação de especialistas internacionais, nomeadamente os investigadores ligados aos dois grandes projectos nesta área: o projecto MANES, com sede na Universidad Nacional de Educación a Distancia (UNED) de Madrid, focalizado na investigação sobre manuais escolares da Europa e América Latinas, de 1820 à actualidade; e o projecto Eckert, coordenado a partir do Institute for International Textbook Research, na Alemanha.
A Secretaria-Geral do Ministério da Educação irá estar representada neste Colóquio, com a apresentação de uma comunicação intitulada «Contributos para um Roteiro dos Manuais Escolares: Metodologias e Etapas de Projectos em Património da Educação». Nesta ocasião serão apresentadas as estratégias e acções relacionadas com manuais escolares que têm sido desenvolvidas no âmbito da política de preservação e divulgação do Património Cultural da Educação, designadamente o projecto BAME (Bibliotecas, Arquivos e Museus da Educação) e o Repositório de História da Educação, que se encontra em curso.
A Secretaria-Geral do Ministério da Educação possui um riquíssimo espólio bibliográfico de manuais escolares dos mais variados autores, épocas e âmbitos disciplinares, que inclui obras desde o século XVIII até à actualidade, e ainda projectos de manuais que não chegaram a ser editados, apresentados a concurso durante o Estado Novo, como é o caso de exemplares manuscritos por autores como Rómulo de Carvalho. Podemos, portanto, falar dos manuais escolares sob diversos pontos de vista: não apenas bibliográfico, mas também arquivístico e museológico.
Instrumento pedagógico central do processo de escolarização, o manual é um dos objectos mais ricos para a compreensão da prática pedagógica. Nele são espelhados os saberes consagrados em cada época, os valores dominantes transmitidos a par com as matérias, e as concepções pedagógicas e orientações práticas defendidas pelos educadores e especialistas nas diversas áreas curriculares.
Nesta comunicação pretende-se contribuir para a divulgação do importante espólio de manuais escolares da SG-ME e realçar as suas potencialidades para o estudo da evolução das práticas pedagógicas e dos saberes curriculares, abordando a temática dos manuais nas suas vertentes bibliográfica, arquivística e museológica.
O contacto com especialistas e representantes de projectos de dimensão internacional será, para a Secretaria-Geral do Ministério da Educação, uma mais-valia e uma oportunidade de aferição e discussão sobre os projectos em curso, numa lógica de melhoria contínua e de aperfeiçoamento das metodologias e estratégias de trabalho.

2011/06/14

PUPILOS DO EXÉRCITO: 100 ANOS DE ENSINO E DE CIDADANIA

No Palácio Valadares, ao Chiado, está patente ao público uma exposição que evoca o centenário da criação do Instituto dos Pupilos do Exército. Esta iniciativa conta com o apoio da Secretaria-Geral, que emprestou, para o efeito, alguns livros pertencentes à Biblioteca Histórica do Ministério da Educação.
Esta exposição foi instalada num espaço contíguo àquele em que se encontra a exposição «EDUCAR: Educação para todos. O Ensino na Primeira República». Esta proximidade justifica-se pelo facto deste Instituto, criado em Maio de 1911, ser um expressivo exemplo do investimento dos republicanos na Educação e do seu empenhamento na criação de instituições escolares que traduzissem, na prática, o ideário e os valores da República.

Ler mais...

2011/06/09

Exposição virtual: Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades - 10 de Junho de 2011

O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, celebra-se a 10 de Junho, assinalando a data da morte de Camões e lembrando a importância de Portugal. O património da educação reflecte a importância destas celebrações, associadas na sua grande maioria à época dos Descobrimentos e às figuras que lhe são inerentes.
Pode aceder a esta exposição, aqui.
 
A exposição integra representações de figuras históricas como Luís de Camões ou o Infante D. Henrique e de símbolos emblemáticos dos Descobrimentos como o Padrão, as caravelas, as naus e os mapas.

2011/05/30

Peça do mês

Este mês apresentamos um traje de cena, criado por alunos e professores, utilizado na peça de teatro "Pedro e Inês.

2011/05/20

Dia Internacional da Diversidade Biológica - 22 de maio

Associando-nos a esta celebração sugerimos uma visita à nossa Exposição:

2011/05/18

Seminários do Património Científico Português, no Museu da Ciência!

No dia 19 de Maio, pelas 17h00, no Museu da Ciência na Rua da Escola Politécnica, 56, em Lisboa, realizou-se um Seminário sobre " O Projecto do Museu Virtual do Ministério da Educação" apresentado pela Dra. Paula Telo, do Ministério da Educação.
 
Para ver mais...

Dia Internacional dos Museus

Tendências actuais na Gestão do Património Cultural

No início do corrente mês de Maio tiveram lugar, em Lisboa, dois eventos importantes para a gestão do património cultural. Assinalando-se hoje, 18 de Maio, o Dia Internacional dos Museus, e realizando-se, amanhã, uma apresentação do projecto do Museu Virtual da Educação, justifica-se trazer a este espaço uma síntese das tendências actuais ao nível da gestão do património cultural que as diversas intervenções nesses dois eventos revelaram.

Ler mais...

Dia Internacional dos Museus

No dia internacional dos museus propomos-lhe que visite a nossa exposição

2011/05/09

Galeria de Ministros

"A vida e a história de uma instituição pública pode ser conhecida, e dar-se a conhecer, através daqueles que, ao longo dos tempos, exercem as responsabilidades de serem o seu primeiro e principal responsável."

2011/04/29

Peça do mês de abril

Este mês apresentamos uma Aguarela da autoria de Seomara da Costa Primo, representando um elemento de botânica, Impaticus, datado de 1977.

2011/04/27

Escola Básica 2,3 Marquesa de Alorna

Breve historial sobre a Escola Básica 2,3 Marquesa de Alorna, ao nível museológico,arquitectónico e bibliográfico

Dia Mundial do Livro

Dia 23 de Abril comemorou-se o Dia Mundial do Livro – data assinalada desde 1996 por iniciativa da Unesco e escolhida para honrar a velha tradição catalã.

2011/04/21

Exposição Virtual

 

2011/03/30

Peça do mês

Visite aqui a peça do mês de março.

2011/03/23

23 de Março: Dia Metereológico Mundial

A exposição virtual "O clima para si" A meteorologia através do património museológico escolar  associa-se à celebração do "Dia Metereológico Mundial" que tem lugar a 23 de Março.
 

2011/03/07

As representações da mulher no património museológico escolar

Esta exposição virtual associa-se à celebração do "Dia Internacional da Mulher" que tem lugar a 8 de Março.
 

2011/03/02

Exposição Virtual

 
"A Colecção Brendel na Escola Secundária de Camões"
 
A presente exposição é uma mostra de modelos anatómicos de plantas e flores.

2011/03/01

«MUITOS ANOS DE ESCOLAS.»

Na passada terça-feira, dia 22/2, a Secretaria-Geral do Ministério da Educação organizou, na recém-intervencionada Escola Secundária D. Filipa de Lencastre, a apresentação pública do terceiro livro da série "Muitos anos de escolas".

Peça do Mês

Visite aqui a peça do mês de fevereiro.

2011/02/25

Peça do mês

Visite aqui a peça do mês de Janeiro.

2011/02/23

Arquitectura escolar: percursos e obras (cont.)

Continuamos, neste espaço a prestar homenagem a arquitectos que, ao longo dos anos, foram enriquecendo o património escolar português.
 
José Sobral Blanco (1905-1990) nasce numa pequena povoação da Galiza, mas desenvolve toda a sua formação em Lisboa, completando o curso de arquitectura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa na década de 1920.
No início dos anos 1930 faz parte das equipas de projectistas da JCETS – Junta das Construções para o Ensino Técnico e Secundário, no âmbito da qual participa no Plano de novas Construções, Ampliações e Melhoramentos de Edifícios Liceais aprovado em 1938.
Esta, vulgarmente conhecido por 'Plano de 38', é um projecto emblemático do Estado Novo, marcado pela ideia de 'ressurgimento material e espiritual da nação', que pretende construir 10 liceus novos e intervir em 13 existentes, e cuja execução irá estender-se por duas décadas. No seio desta equipe, José Sobral Blanco projecta e acompanha a execução de diversos liceus: Setúbal (1945), Carolina Michaelis, no Porto (1951), Oeiras (1953) e Portimão (1965).
É ainda no âmbito da Junta que se inicia o Plano das Construções para o Ensino Técnico, a partir de 1947. Sobral Blanco assina, nesta altura, os projectos de diversas escolas comerciais e industriais: Setúbal (1951), Portalegre (1953), Marquesa de Alorna, em Lisboa (1955), Torres Novas (1956) e Oliveira de Azeméis (1959). Na construção destas escolas técnicas são experimentados novos processos construtivos, embora haja uma maior simplificação e uniformização tipológica, relativamente aos projectos dos Liceus.
Em 1969, a JCETS é transformada em Direcção-Geral das Construções Escolares. Sobral Blanco mantém-se nela até à sua aposentação, em 1975. Nesta fase final, as orientações da tutela são menos apertadas que haviam sido as da JCETS, sendo permitida uma menor uniformidade tipológica. Para além disso, as inovações pedagógicas do final do Estado Novo reflectem-se numa outra concepção do edifício escolar, mais flexível, polivalente, e articulado. Em termos estruturais, esta fase é marcada pela criação do Ciclo Preparatório do Ensino Secundário, e pela necessidade de projectar edifícios para esta nova unidade escolar.
A par com o trabalho nas construções escolares, que domina praticamente toda a sua vida profissional, Sobral Blanco mantém alguma actividade privada, nomeadamente na Galiza, sua terra natal. Dedica-se ainda à docência no Instituto Espanhol, actividade que mantém para além da sua aposentação como projectista da Direcção-Geral das Construções Escolares.
 

 

2011/02/17

Arquitectura escolar: percursos e obras (cont.)

Continuamos, neste espaço a prestar homenagem a arquitectos que, ao longo dos anos, foram enriquecendo o património escolar português.
Jorge Segurado (1898-1990) foi um dos arquitectos emblemáticos da Arquitectura Moderna em Portugal.
Licenciado pela Escola de Belas Artes de Lisboa, foi desde os anos 30 arquitecto da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais. Nesse período, realiza duas viagens que serão fundamentais para a introdução de novas linguagens estéticas em Portugal: em 1931, à Alemanha, com o seu amigo, o artista Mário Eloy, para visitar a Bauhaus; e no final da década, com António Ferro, aos Estados Unidos, onde projecta os pavilhões de Portugal em S. Francisco e Nova Yorque.
Pouco depois, em 1940, colabora na exposição do Mundo Português, tendo sido o arquitecto responsável pelas 'Aldeias Portuguesas'; e dirige, a partir de 1944, a instalação do Museu de Arte Popular, resultante da adaptação de pavilhões da Exposição dos Centenários.
Entre outras obras, foi o autor da Casa da Moeda, um dos exemplos maiores do modernismo arquitectónico português, e dos Estúdios da Tóbis Portuguesa, também em Lisboa.
Na segunda metade dos anos 50, projecta dois importantes conjuntos de arquitectura habitacional em Lisboa: na Av. do Brasil, os chamados 'blocos amarelos' do Montepio Geral, que ganharam essa designação informal devido ao seu revestimento azulejar amarelo vivo; e no cruzamento da Avenida dos Estados Unidos da América com a Avenida de Roma, os quatro blocos, semelhantes dois a dois, que definem a praça.
Jorge Segurado dedicou-se também à escrita, de que ficou testemunho em obra publicada, bem como à pintura e ao desenho, tendo realizado uma última exposição em 1983, na Galeria Diário de Notícias, em Lisboa.
No domínio da arquitectura escolar, projectou o edifício do Liceu D. Filipa de Lencastre, no Bairro do Arco do Cego, em Lisboa, inaugurado em 1938.
Este Liceu, que havia sido criado em 1928, funcionara em instalações provisórias no Palácio Corte Real, na Rua do Quelhas e, mais tarde, num edifício de habitação, à Estrela, onde se mantém até 1938.
Entretanto, tinha sido encomendado, a Jorge Segurado, o projecto de um edifício para Escola Primária, no bairro do Arco de Cego, com um programa de tal modo amplo que teria feito desta a maior escola primária do país. Este programa, porém, é considerado demasiado ambicioso. É então pedido ao arquitecto a reformulação do projecto, de modo a instalar o liceu D. Filipa de Lencastre, vindo este a tornar-se um dos edifícios liceais emblemáticos da capital.

2011/02/10

Arquitectura escolar: percursos e obras


Muitos têm sido os arquitectos que foram deixando a sua marca no património escolar português. É justo prestar-lhes homenagem. Neste espaço, vamos evocando o percurso de alguns dos «arquitectos escolares» portugueses.
 
Augusto Pereira Brandão é um dos arquitectos portugueses com mais obra feita no campo da arquitectura escolar.
Formou-se em Arquitectura em 1955 na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, e desenvolveu posteriormente um longo percurso académico, ligado primeiramente à Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, onde fez concurso de agregação, em 1968, tendo sido Presidente dos Conselhos Directivo, Científico e Pedagógico entre 1976 e 1984.
No âmbito do processo de reestruturação da Escola Superior de Belas Artes e criação da Faculdade de Arquitectura de Lisboa, foi Vogal da sua Comissão Instaladora, em 1984/86. Mais tarde foi nomeado professor Catedrático da Faculdade, sendo Presidente do Conselho Directivo e Vice-Presidente do Conselho Científico em 1990/91.
Desenvolve, em seguida uma longa colaboração com outras universidades, nomeadamente como Director do Departamento de Arquitectura da Universidade Lusíada, de que foi Vice-Reitor (1991-1994), Director do Departamento de Artes da Universidade Moderna (1993-1998), Director do Departamento de Arquitectura e Design da Universidade Independente (1998-1999). Mais recentemente, encontra-se ligado à Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, de que é Pró-Reitor.
A sua actividade como arquitecto desenvolveu-se especialmente na área das construções escolares. Foi técnico superior da Junta das Construções para o Ensino Técnico e Secundário e da Direcção-Geral das Construções Escolares entre 1955 e 1974, tendo dirigido o Grupo Técnico que projectou, entre outros, os edifícios dos Liceus Rainha D. Leonor, em Lisboa (1956), da Covilhã (1960), Garcia da Horta, no Porto (1966), de Gondomar (1965), da Maia (1967), de Vila Nova de Gaia (1967).
Participou no Grupo de Estudos sobre Construção Escolar, organizado segundo o "Plano Regional do Mediterrâneo", cuja conclusão foi a construção da Escola Primária Piloto, em Mem-Martins e as Escolas Secundárias de Vila Nova de Gaia e Barreiro.
Dirigiu também o Grupo criado para a concepção e construção das primeiras 20 Escolas Preparatórias das quais já se construíram 30 desde 1968. E dirigiu o Gabinete de Estudos para a construção Universitária da Universidade Técnica de Lisboa, no âmbito do que se projectou a Faculdade de Arquitectura.
Tem ainda uma intensa actividade no âmbito da intervenção e recuperação de património, em Portugal e no estrangeiro. No campo da escrita, tem mais de uma dezena de livros publicados e inúmeras intervenções em revistas de arquitectura.

2011/01/05

Objectos museológicos das práticas pedagógicas da Química

No âmbito do Ano Internacional da Química 2011, a Secretaria-Geral associa-se a esta comemoração através da realização de uma exposição virtual com antigos objectos utilizados nas práticas pedagógicas da Química.
A exposição inclui imagens parietais, aparelhos de aquecimento, reagentes químicos, instrumentos para medição de peso (balanças), quadros didácticos, material de vidro, equipamento diverso e instrumentos para medições de massa, densidade ou temperatura. A exposição está temporariamente disponível nas montras na Secretaria-Geral do Ministério da Educação.