2018/06/12

Peça do mês de junho - 2018


Sistema de aquecimento doméstico
Trata-se de um modelo para o estudo do aquecimento doméstico central, composto por um dispositivo de vidro com ligação à corrente do sector para aquecimento de um fio condutor que provocará as correntes de conversão num líquido especial, termo crómico, que muda de cor por aquecimento. O aparelho está montado numa prancha de madeira, pintada de branco e assente numa base rectangular. Vem acompanhado de um frasco com 1 litro do referido líquido.
Está inventariado com o número ME/404652/383 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária de Pedro Nunes.

2018/06/06

#ARTISbeingdigital

#ARTISbeingdigital é um novo projeto e um espaço de debate e aprendizagem sobre História da Arte e ferramentas digitais dinamizado pelo Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Para além da informação proporcionada ao público no site, o #ARTISbeingdigital  promove conferências, workshops e formações. Faça uma visita site aqui

2018/05/30

IV Colóquio Luso-Afro-Brasileiro de Questões Curriculares

Nos dias 10, 11 e 12 de setembro de 2018 terá lugar o IV Colóquio Luso-Afro-Brasileiro de Questões Curriculares, em Lisboa no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Este colóquio será um espaço de reflexão, discussão e troca de experiências entre países de Língua Portuguesa, na área dos estudos curriculares. para mais informações visite o site.

2018/05/23

3.º Encontro BAD ao Sul - Comunicação e acesso à informação: desafios

No próximo dia 29 de maio/2018 irá realizar-se, em Ferreira do Alentejo, o 3.º Encontro BAD ao Sul sob o tema "Comunicação e acesso à informação: desafios". Trata-se de um encontro que pretende promover a reflexão sobre o processo de comunicação na captação e fidelização de públicos no acesso à informação. Para mais informação aceda aqui ao site. 

2018/05/16

Peça do mês de maio - 2018


Xisto com fósseis
Xisto com fósseis, material utilizado no Laboratório de Ciências Naturais enquanto material de apoio às matérias de Geologia/Paleontologia.
Está inventariado com o número ME/401250/1474 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária D. Dinis.
O xisto é um nome genérico atribuído a várias rochas metamórficas laminadas. Formando-se a partir da argila, sujeita ao aumento da pressão e da temperatura, o xisto apresenta algumas variações conforme os minerais de que é composto: micaxisto, anfiboloxisto, cloritoxisto ou talcoxisto.
Esta peça apresenta-se bem conservada e a sua importância deve-se ao facto de ser mais difícil encontrar fósseis neste tipo de rochas devido à sua estrutura de formação.


2018/05/09

Seminário "Literacia da Informação em Contexto Universitário II: Contributos para a Ciência Aberta"

No dia 16 de maio/2018 na Universidade Aberta, a BAD irá organizar o seminário "Literacia da Informação em Contexto Universitário II: Contributos para a Ciência Aberta". O objetivos serão apresentar a framework da Literacia da Informação, divulgar os princípios da Ciência Aberta e as competências em Literacia da Informação. Para mais informações aceda aqui ao programa ou utilize o endereço de email formacao@bad.pt.

2018/05/02

Conferência "Trilhos da igualdade ou atribulações de um Grilo Falante" por Teresa Alvarez

No dia 9 de maio, a Secretaria-Geral da Educação e Ciência retoma as sessões Em Redor da Memória... em colaboração com a CIG (Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género). A conferência com o título "Trilhos da igualdade ou atribulações de um Grilo Falante" estará a cargo de Teresa Alvarez, realizando-se pelas 17.00h no Auditório da SGEC. As inscrições são obrigatórias e limitadas à capacidade da sala (dsda@sec-geral.mec.pt).

2018/04/27

Peça do mês de abril - 2018

Televisão
Televisão utilizada para visualização de filmes. Trata-se de um sistema de receção de imagens e som, a partir da análise e conversão da luz e do som em ondas eletromagnéticas. Estas são reconvertidas e podem ser visualizadas/ouvidas através deste aparelho. É constituído por uma caixa paralelepipédica, com ecrã de cantos arredondados.
Está inventariado com o número ME/401122/66 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária Carlos Amarante.
A criação do aparelho de televisão funcional é atribuída a Philo Farnsworth, de origem norte americana, detentor da patente desde 1922. Não tendo conseguido o investimento financeiro necessário para o desenvolvimento do projeto, a patente foi atribuída a Vladimir Zworykin na década de 40.
O primeiro serviço de difusão de imagens analógico foi a WGY, inaugurado em 1928 em Nova Iorque. O crescimento deste sistema deu-se a partir da Segunda Guerra Mundial, devido aos grandes avanços tecnológicos. Uma das primeiras grandes transmissões foi a dos Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936. A primeira transmissão a cores data de 1954 e foi feita pela NBC.



MJS

2018/04/05

Ciclo de palestras : "Entre a Cruz e o Crescente"

No seguimento da exposição patente na Torre do Tombo, "Entre a Cruz e o Crescente: o resgate de cativos", irá ter lugar um ciclo de palestras relacionadas com o tema até ao dia 7 de julho. A primeira está agendada para 4 de abril com o tema "A presença portuguesa em Marrocos e em Argel". A sessão inclui o lançamento do catálogo da exposição. A entrada é livre. Para mais informações consulte o site.


2018/03/28

30 anos Fundação Oriente/10 anos Museu do Oriente

Comemorando os 30 anos da Fundação Oriente e os 10 anos do Museu do Oriente, este encontra-se a organizar um programa especial de aniversário do qual constam os seguintes países e atividades:

ÍNDIA | 17 Março a 1 Abril

COREIA | 25 Março 

FILIPINAS | 8 Abri

TAILÂNDIA | 15 Abril | 11 Maio

JAPÃO | 16 a 22 Abril | 24 e 25 Maio 

BANGLADESH | 29 Abril a 4 Maio 

CHINA | 5 e 6 Maio 

TIMOR | 12 a 27 Maio 

STREET FOOD FESTIVAL | 20 Maio

Para mais informações consulte aqui o site. 

2018/03/21

Site do 13.º Congresso BAD

O 13.º Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas irá realizar-se nos dias 24 a 26 de Outubro, com o temo "Sustentabilidade & Transformação". Para que possa acompanhar as notícias mais relevantes relativamente a este Congresso, a BAD disponibilizou um site onde acede a todas as informações: https://www.bad.pt/13congresso.

2018/03/14

Peça do mês de março - 2018

Toupeira
Espécime taxidermizado que servia para estudo e observação nas aulas de Ciências Naturais. Classificação científica: Reino: Animallia; Filo: Chordata; Classe: Mammalia; Ordem: Soricomorpha; Família: Talpidae.
Designação comum dos mamíferos insetívoros pertencentes à família Talpidae da ordem Soricomorpha, que vivem no subsolo enterrados em tocas e galerias. As toupeiras têm o corpo alongado e coberto de pelos densos e aveludados de cor negra ou cinzenta escura, não têm orelhas externas e, devido ao seu modo de vida, são total ou parcialmente cegas. A sua alimentação faz-se à base de pequenos animais invertebrados que vivem no solo.
Está inventariado com o número ME/401250/1014 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária D. Dinis.
As toupeiras têm espécies variadas e são bastante abundantes na região da Península Ibérica, nomeadamente em pastos, zonas agrícolas, jardins e áreas florestais. É considerada uma espécie não ameaçada, sendo o seu predador principal o próprio homem: a toupeira é responsável pelo desenraizamento das plantas e pela deslocação das raízes, causando enormes prejuízos aos agricultores. Apesar disso, alimentam-se de muitos animais prejudiciais ao desenvolvimento das culturas, oxigenando o solo através da escavação de galerias.

2018/03/07

Prémios Arquivo.pt

Os prémios Arquivo.pt 2018 destinam-se a promover trabalhos inovadores quer ao nível da investigação quer ao nível da aplicação de recursos de pesquisa e acesso. Até ao dia 4 de Maio poderão ser apresentadas candidaturas através de um formulário online que deve incluir uma memória descritiva e um vídeo. Para mais informações consulte o site.

2018/02/28

Exposição na Sala de Leitura: "Maria Keil Ilustradora"

Encontra-se disponível na Sala de Leitura da Secretaria Geral da Educação e Ciência uma exposição sobre o tema "Maria Keil Ilustradora". Estão expostas algumas obras ilustradas pela autora, incluindo, manuais escolares e contos infantis.

2018/02/21

Exposição temporária: "Partida da Família Real para o Brasil - 1807"

Estará patente no Museu dos Coches até ao dia 23 de junho a exposição temporária "Partida da Família Real para o Brasil - 1807". Partindo da pintura de Nicolau Delerive que retrata a o embarque da Família Real, dá-se a conhecer a viagem que transferiu a capital portuguesa para um país fora da Europa. São abordados temas como a vida na corte e o contraste de culturas. Para mais informações clique aqui.

2018/02/14

Peça do mês de fevereiro - 2018

Uniforme
Uniforme da Mocidade Portuguesa composto por uns calções curtos beges, uma camisa verde com o emblema da MP (escudo e quinas de Portugal) bordado sobre o bolso esquerdo, e um bivaque de cor castanha com um pequeno medalhão com o n.º 2.
Está inventariado com o número ME/401109/29 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária de Camões.
Um uniforme é, por definição, um conjunto de peças de vestuário que têm características específicas e que são usadas por todos os membros de uma determinada instituição ou serviço de caráter profissional, militar, entre outros. Neste caso específico trata-se da farda mais comum da Mocidade Portuguesa.
A Organização Nacional Mocidade Portuguesa, mais comumente conhecida como Mocidade Portuguesa (MP), foi criada pelo Decreto-Lei n.º 26. 611 de 19 de maio de 1936 e o seu regulamento aprovado a 4 de dezembro do mesmo ano pelo Decreto n.º 27 301.
O seu objetivo era o desenvolvimento da capacidade física dos jovens, a formação do seu caráter e a devoção à pátria, que se traduzia no gosto pela ordem, pela disciplina e pelos deveres morais, cívicos e militares, princípios consagrados no Regimento da Junta Nacional de Educação. Pretendendo a “Renascença da Pátria”, a MP tomou como símbolos a bandeira nacional e a bandeira de D. João I, bem como as figuras de D. Nuno Alvares Pereira e o Infante D. Henrique.
Um ano mais tarde, através do Decreto-Lei nº 28 262 de 8 de dezembro de 1937, foi aprovado o regulamento da “Secção Feminina da Organização Nacional Mocidade Portuguesa”, mais conhecida por Mocidade Portuguesa Feminina (MPF), promovida pela Obra das Mães pela Educação Nacional (OMEN). O âmbito desta organização estava focado no desenvolvimento do gosto pelo trabalho coletivo e da organização da vida doméstica para um cabal desempenho da missão da mulher na família.
O Comissariado Nacional foi o órgão criado com o objetivo de dirigir a Mocidade Portuguesa, nomeado diretamente pelo Ministro da Educação Nacional, conforme o Decreto-Lei 26.661.
Existia igualmente um hino e um plano de uniformes da Mocidade Portuguesa, aprovado a 4 de dezembro de 1936 através do Decreto 27 301, substituído a 7 de janeiro de 1938 pelo Decreto n.º 28410.
Todos os jovens e crianças dos 7 aos 14 anos, escolarizados ou não, deviam obrigatoriamente estar filiados. A estrutura da Mocidade Portuguesa dividia-se em quatro escalões etários: Lusitos (7 aos 10 anos), Infantes (10 – 14 anos), Vanguardistas (14 aos 17 anos) e Cadetes (17 aos 25 anos).

As MP e MPF foram extintas a 25 de abril de 1974 pela Junta de Salvação Nacional pelo Decreto-Lei nº 171/74. 

2018/02/07

Bookcrossing do Palácio Fronteira

No próximo dia 10 de março (sábado) das 11 às 15 horas, no pátio de entrada do Palácio Fronteira (Largo São Domingos de Benfica) terá lugar o I Encontro para troca de livros.Visite o site aqui.

2018/01/31

"Felizmente há luar... Nos 200 anos da execução de Gomes Freire de Andrade"

A Direção-Geral do Livro, Arquivo e Bibliotecas tem disponível uma mostra documental até ao dia 17 de fevereiro, relacionada com Gomes Freire de Andrade, um símbolo dos defensores do liberalismo. Aqui poderão ser vistos documentos relevantes sobre esta personagem, associados à Lei da Abolição da Pena de Morte em Portugal. Para mais informações pesquisar aqui

2018/01/24

Poesia no Museu

O Museu da Musica organiza um ciclo de sessões de leitura de poemas até 27 de junho, cada um dedicado a um autor ou a um tema específico. A primeira sessão irá decorrer no dia 31 de janeiro, conduzida por Jorge Vaz de Carvalho e será dedicada a Jorge de Sena. Para mais informações consulte o site da Agenda Cultural.

2018/01/17

Peça do mês de janeiro

Violino
Instrumento musical utilizado em contexto das práticas pedagógicas de Música. Trata-se de um violino com arco e caixa em cartão. Apesar de apresentar alguns problemas de conservação (apenas lhe restam duas cordas e a madeira está visivelmente afetada), este violino é testemunho da importância que a música ocupava no espaço escolar, pois não só podia ser utilizado como parte da atividade pedagógicas como possibilitava a prática musical em outras ocasiões.
Está inventariado com o número ME/ESDJC/41 e pertence ao espólio museológico da Escola Secundária D. João de Castro.
O violino é um instrumentos de cordas e a sua designação foi introduzida na língua portuguesa no século XX, sendo até então utilizada a palavra “rabeca”. O violino tem quatro cordas e um timbre agudo obtido através da ação de friccionar as cerdas com um arco ou com os dedos.
Os primeiros violinos, com um formato semelhante ao atual, foram produzidos em Itália entre o final do século XVI e o início do século XVII. Os mais famosos fabricantes italianos foram Amati, Guarneri e Stradivarius.
Este instrumento foi ligeiramente alterado no século XIX. As suas cordas, atualmente podem ser feitas de tripa de animal, metal ou mesmo sintéticas e estão fixas ao estandarte. Alongam-se até às cravelhas, onde podem ser colocadas em tensão ou ficarem mais relaxadas.
A zona do cavalete é o elemento que transmite as vibrações das cordas ao violino, amplificadas na caixa de ressonância. A queixeira é a zona de apoio no queixo do instrumentista.

Imagem do violino e informação retirada de http://www.amac.pt/violino/ em 04/01/2018.

MJS

2018/01/10

Conferência: "Bibliotecas universitárias: o presente no futuro"

Irá realizar-se no dia 16 de fevereiro, na Universidade do Minho, a conferência "Bibliotecas universitárias: o presente no futuro", encerrando o ciclo comemorativo dos 25 anos da Biblioteca Geral. Para mais informações clique aqui.

2018/01/03

Exposição "Tempus Fugit: Vida, morte e memória na Igreja de S. Julião"

Até ao dia 27 de janeiro de 2018 poderá visitar a exposição "Tempus Fugit: Vida, morte e memória na igreja de São Julião", no Museu do Dinheiro (quarta a sábado das 10h00 às 18h00). Aqui "Quisemos expor o contributo científico dos testemunhos da morte para o conhecimento sobre as condições de vida e, nessa perspetiva, mostrar as consequências do tempo e das transformações gravadas na matéria física, ou no que dela resiste." Para mais informações consulte aqui o site.